Brazilian street artist paints shadows in abandoned psychiatric hospitals.

Brazilian street artist paints shadows in abandoned psychiatric hospitals

Brazilian street artist paints shadows in abandoned psychiatric hospitals

Anúncios
Publicado em Grafitagens | Deixe um comentário

Smole : Toxic Vaporz

En ce moment, Smole présente sa nouvelle exposition individuelle à la Montana Gallery de Montpellier. Toxic Vaporz est un hommage au graffiti, à la lettre, aux personnages, et aux couleurs dans lesquels l’artiste montpelliérain est plongé depuis une quinzaine d’années. Si vous passez par le sud avant le 8 juin prochain, profitez-en pour aller vous imprégner des vapeurs toxiques de l’artiste emblématique de la scène montpelliéraine ; sinon, voici les photos de l’expo !

Publicado em Grafitagens | Deixe um comentário

Pioneiro do grafite no Brasil ganha exposição no Museu de Arte Moderna, em São Paulo

O artista brasileiro Alex Vallauri (1949 – 1987) fez de tudo no mundo das artes: desenho, gravura e pintura. Entretanto, o que realmente o consolidou como um artista cosmopolita foi o pioneirismo com o grafite. Agora com a exposição Alex Vallauri: São Paulo e Nova York Como Suporte, o artista sai das ruas para ganhar espaço e peso no Museu de Arte Moderna de São Paulo, em uma retrospectiva que vai da primeira aquarela até os últimos e mais famosos trabalhos, como “A Rainha do Frango Assado”.

Entre os anos 70 e 80, os grafites de Vallauri podiam ser vistos estampando os quatro cantos da cidade de São Paulo – depois em Nova York -, criando situações inusitadas, marcas registradas e pequenas histórias que eram de fácil reconhecimento da população: botas pretas, frangos, mulheres e acrobatas compondo o cenário urbano que misturava o kitsch, a simplicidade e a breguice à crítica social bem-humorada.”Ele era mais que um grafiteiro, era um artista completo, quase que um artesão”, conta João Spinelli, o curador da mostra. “Ele nunca foi acomodado, por isso essa vasta retrospectiva mostra todo o corpo de trabalho de um artista inovador.”

Apesar da brevidade temporal – ele morreu aos 37 anos vítima da aids -, Vallauri conquistou reconhecimento e um vasto corpo de trabalho ao dominar as mais variadas técnicas e explorar outros recursos inovadores na época, como o xerox, carimbos e estêncil. “Alex tinha uma grande vontade em acompanhar a evolução das técnicas”, explica Spinelli. “Ao ponto, acredito eu, de que se estivesse vivo hoje com toda essa tecnologia à disposição, sua obra seria completamente diferente das últimas que realizou antes de morrer.”

Filho de italianos, Vallauri nasceu na Eritreia (na época, região da Etiópia ocupada pela Itália), mudou-se para Buenos Aires e, em seguida, para Santos, até chegar à cidade que adotou como casa e ateliê, São Paulo. As andanças do artista foram além ao estudar e aprimorar técnicas na Europa – especialmente a gravura, na Suécia – e nos Estados Unidos, onde estampou seus grafites, fotografou, conheceu e foi reconhecido por grandes nomes da arte, como Jean-Michel Basquiat, Andy Warhol e Keith Haring durante o boom da pop art. “O trabalho dele é uma soma de todas essas experiências. Alex é o artista brasileiro mais cosmopolita que já vi e sua obra ainda pode ser considerada muito atual”, completa Spinelli.

Exposição Alex Vallauri: São Paulo e Nova York Como Suporte
Até o dia 23 de junho, das 10 às 18h
Museu da Arte Moderna – Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 3
Informações: 5085-1300
Ingresso: R$ 6 (crianças até 10 anos e adultos com mais de 65 anos não pagam entrada). Aos domingos, a entrada é franca para todo o público, durante todo o dia

Publicado em Grafitagens | 1 Comentário

CLET@logic

Galeria nas ruas, a astúcia da arte de rua na Itália.

URBAN CARTOON realizzato da Raphael Haddad per CLET.

Vídeo | Publicado em por | Deixe um comentário

A comunicação nos muros.

547491_360286837423433_225382527_n

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

PROJETO RUA D’ARTE (São Paulo)

Rua D’Arte, como sugere o nome, é uma oficina de arte de rua (street art) desenvolvida na região sul da cidade de São Paulo no destrito do Jd. Ângela. Este projeto tem o intuito de levar e agregar valores culturais ao cotidiano da comunidade e incentivar a produção artística da região, principalmente dos jovens e adolescentes entre 13 e 25 anos (e demais interessados).Imagem

O foco principal do projeto Rua D’Arte é o Graffiti, manifestação artística com a qual os jovens têm forte identificação por conter uma “linguagem” interdisciplinar e abordar temas urbanos, juvenis, protestantes, populares e contemporâneos. Mas esses jovens sofrem com a pouca informação sobre a história, técnica e conceitos dessa prática artística. Já que o Graffiti é pouco abordado nas escolas e a região sofre com a carência de centros culturais. E conta apenas com a casa de cultura da M’ Boi Mirim do Jd. Piraporinha que padece com a falta de verbas, recurso e apoio insuficientes de orgãos do Estado e Prefeitura de São Paulo.

Durante o seminário Poetas Escondidos, organizado pela produtora sociocultural A BANCA em parceria com o Centro Maria Mariá, ficou explicito quando a supervisora da Subprefeitura da M’boi Mirim, questionada por moradores sobre a falta de apoio, declarou “estar de mãos atadas já que não existe nenhuma verba destinada a cultura para região da Subprefeitura” com 587.228 habitantes (SIAB, Secretaria Municipal de Saúde, 2006).

O projeto RUA D’Arte procurando atender parte da demanda desses jovens propõe uma oficina que contextualize sobre a prática artística do Graffiti e a cultura de rua resultando em intervenções urbanas artisticas na região sul da cidade de São Paulo. Através de muros grafitados por educadores(as), artistas e educandos(as) como resultado de suas oficinas. Além destas intervenções artísticas o projeto oferece um workshop inaugural ministrado por um artista da velha escola (old school) do Graffiti brasileiro seguido de performance de Live paint (graffiti ao vivo) com entrada franca. O que propicia aos participantes o contato direto com o artista possibilitanto conhecer e aprender um pouco mais com seu processo criativo profissional. E além disso, propõe saídas culturais para o estudo do meio com uma visita ao famoso beco do Batman (Rua Gonçalo Afonso) na Vila Madalena reconhecido point do Graffiti brasileiro e uma visita a uma exposição de Street art em galeria ou instituição cultural da cidade de São Paulo, ampliando os horizontes dos(as) educandos(as) e proporcionando uma análise comparativa.

Obs: este projeto é desenvolvido pelo Coletivo Fora de Frequência e foi selecionado pelo VAI 2011 da secretaria municipal de cultura de São Paulo. Neste ano as atividades terão início no mês de junho.

Blog do projeto: http://projetoruadarte.blogspot.com.br/2011/04/projeto-rua-darte-em-breve.html

Publicado em Grafitagens | Deixe um comentário

Baita Programação!

Deem só uma olhada na exposição que estará ‘fresquinha’  te esperando aqui em Porto Alegre.

Image

Mais informações e conteúdos: http://www.grafftche.com/

Publicado em Grafitagens | Deixe um comentário